A comédia adulta FACINHAS é inspirada no conteúdo do blog Malandragem Facinha, as autoras Angélica Coutinho, Denise Barreto e Patrícia D’Abreu, conseguiram adaptar para o palco a relação de três mulheres, em períodos distintos, com os seus anseios, aspirações, angústias, de forma bem humorada, inteligente e poética.

Em linhas gerais: não é apenas um texto sobre mulheres em busca de um amor, mas sim sobre o que elas podem alcançar diariamente em suas vidas.

Lá nos idos de 2007, três jornalistas decidiram transformar em peça de teatro os textos de um blog que mantinham. Aquele espaço, que era só para jogar papo fora, já estava ficando bom demais para não dar as caras em outras paragens como concorrer a um prêmio de novos autores de teatro no Centro Cultural Banco do Brasil. Mesmo jurando de pés juntos que tudo não passava de ficção e diversão o texto acabou em segundo lugar no concurso do CCBB com direto à leitura dramatizada.

As autoras (Angélica Coutinho, Denise Barreto e Patrícia D’Abreu) se juntaram e transformaram os textos soltos em cenas interpretadas por seus alteregos: Facinha de 30, Facinha de 40 e Facinha de 50. O blog virou livro Malandragem Facinha, publicado em 2011, em formato de bolso pela Editora Multifoco.

Já a peça FACINHAS se tornou o xodó do grupo que arregaçou as mangas, como boas Facinhas, e convidaram a Cineteatro Produções, do produtor Alexandre Lino, para sacramentar a trilogia (blog- livro-peça) e entrar na brincadeira. Na direção Tom Pires que continua em circulação com AS BONDOSAS, sucesso de crítica e público, vencedor de 7 Prêmios no XIV Festival Nacional de Teatro de Guaçuí – ES, incluindo MELHOR DIRETOR.

A peça FACINHAS , com título original Vem ni mim que sou Facinha, reúne mulheres de três gerações: uma está por volta dos 30 anos (Marina Martins), outra dos 40 (Nancy Calixto) e outra dos 50 (Vania Autonamo). Apesar do pequeno intervalo entre as vidas, suas experiências são diferentes, mas suas percepções e decisões nem tanto. Elas estão sempre a fim de um grande amor, sem duração pré-estabelecida, encarado com humor e certo tremor nas pernas. E elas conversam entre elas no palco, mas também falam para a plateia, assim de frente, diretamente, da maneira como escolheram enfrentar a vida. Sem palavrões e sacanagem, mas com muito bom humor e poesia falam de mulher para mulher e das mulheres para os homens.

Diferente de alguns textos femininos já encenados, a história das Facinhas não é só de mulheres em busca de um amor. Elas querem mais do que amores. Elas anseiam pelo tudo no dia a dia.

Segundo o diretor Tom Pires: FACINHAS é uma radiografia da mulher do nosso tempo, essas mulheres que saíram da cozinha e ganharam às ruas, os gabinetes, o mercado, a independência financeira e causam medo nos homens.

“Nós Facinhas somos sempre felizes para sempre”.

Sinopse

Mulheres de três gerações distintas mostram o que significa ser FACINHA nos dias atuais.

Ficha técnica

Domésticas

Texto: Angélica Coutinho, Denise Barreto e Patrícia D’Abreu
Direção: Tom Pires
Elenco: Mariana Martins (Facinha de 30), Nancy Calixto (Facinha de 40) e Vania Autonamo (Facinha de 50)

Gênero: Comédia
Classificação: 18 anos
Duração: 70 minutos

Leia mais no site: http://facinhas.cineteatroproducoes.com.br